Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Sucesso profissional

(Texto de Carmen Benedetti)

Mas o que é sucesso profissional? Como se mede? Como se alcança?

Para a grande maioria das pessoas, sucesso profissional está ligado à renda adquirida e a cargos alcançados. Mas será que esse é o melhor critério? E se for, como é possível chegar a ele?

A equação não é tão simples assim. Quantas vezes ouvimos histórias de pessoas que foram excelentes alunos e que não tiveram uma carreira bem-sucedida? Podemos eventualmente conhecer também casos opostos, em que um péssimo rendimento escolar repercutiu em uma excelente trajetória profissional.

O fato é que o sucesso profissional passa por diversos caminhos, muitas vezes inesperados, e em certa medida fortuitos, mas é possível afirmar que o que há em comum entre todos os bem-sucedidos é a capacidade de aproveitar oportunidades.

Qualquer oportunidade? Não, definitivamente não. A grande sacada é a de discriminar e, daí, aproveitar uma oportunidade que tenha relação direta ou indireta com o desejo e os valores da pessoa que escolhe aproveitá-la. Não adianta nada aproveitar uma escada apoiada em um muro se, depois de subir todos os degraus, nos depararmos com o fato de que o muro dava para um terreno indesejado. Apoiar a escada no muro certo, aquele que nos leva a um lugar em que queremos estar, é muito mais importante e eficiente do que sair por aí subindo qualquer escada e a qualquer custo, indiscriminadamente, sem pensar nem sentir.

Sucesso profissional exige conexões constantes entre pensamento/sentimento e ação. A ação impulsiva pode levar ao distanciamento dos nossos objetivos e nos fazer reféns de uma vida que não gostaríamos de ter, mesmo que envolva bons salários, reconhecimento e status social e cargos elevados. Conhecer-se a si mesmo é parte fundamental de qualquer escolha, incluindo as escolhas profissionais, e do sucesso decorrente dessas escolhas.

A busca desenfreada por cargos e salários pode gerar insatisfação, tristeza e, em última instância, depressão, com todos os seus sintomas (irritabilidade, tristeza, excesso de peso, cansaço, apatia, desmotivação), e a única porta de saída, muitas vezes, passa a ser a desistência de tudo o que foi construído.

Profissionais realmente bem-sucedidos são os que alcançam bem-estar em suas profissões (bem-estar suficiente até mesmo para minimizar os desconfortos atrelados a qualquer prática profissional), não porque aproveitam todas as oportunidades que aparecem, mas porque têm a capacidade de discriminar e de aproveitar as oportunidades específicas, que os conduzem ao lugar aonde querem chegar – um lugar escolhido a dedo, criteriosamente, conectado a valores pessoais (acessíveis pelo autoconhecimento), mais do que aqueles impostos socialmente.

Texto de Carmen Benedetti. Graduada em Psicologia pela PUC-SP, formada em Psicodrama pela Escola Paulista de Psicodrama e doutora em Ciências da Saúde pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Atualmente, é coordenadora de projetos educacionais do Estúdio Bogari Produção Editorial Ltda. e psicóloga clínica em consultório particular, atendendo adultos e adolescentes, em regime individual, grupal e de casal.

 

 

Crédito da foto principal: Cybrain/Shutterstock

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *