Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Descubra a cidade em que você mora

(Texto de Cláudia Carvalho Neves)

Há algum tempo, venho me dedicando a organizar meus arquivos de fotos de viagens, o que, além de ser um delicioso exercício de trabalho com a memória, é um ótimo treino de edição: é impressionante como, após ter comprado a primeira câmera digital, eu esqueci tudo o que havia aprendido sobre ser econômica ao fotografar com a câmara analógica, em que cada foto do filme de 36 poses tinha de ser muito bem pensada e escolhida antes de ser feita, e as fotos de viagem multiplicaram-se absurdamente.

Enquanto revia e organizava as inúmeras fotos, me dei conta de como eu conheço pouco a cidade em que moro. Quando viajamos, visitamos igrejas, museus, pontos históricos, parques e nos aventuramos por bares e restaurantes desconhecidos em busca de novas experiências gastronômicas, mas nunca ou raramente fazemos isso na cidade em que moramos. Eu, que vivo na cidade de São Paulo há mais de vinte anos, conhecia e tinha fotos do Jardim Botânico do Rio de Janeiro e do de Curitiba, mas nunca tinha ido ao Jardim Botânico de São Paulo.

Jardim Botânico de São Paulo (S. Paulo-SP). Crédito da foto: Cláudia Carvalho Neves.

Foi, então, que li uma matéria sobre um profissional da área de marketing que organiza passeios gastronômicos e culturais pela cidade de São Paulo. Durante 20 anos, Olavo Medeiros Júnior trabalhou identificando estabelecimentos frequentados por formadores de opinião e, dessa forma, ele conheceu de lugares mais alternativos aos mais sofisticados da cidade.

Em um período de transição de carreira, ele percebeu que conhecia centenas de lugares gratuitos ou com preços acessíveis e criou um perfil no Instagram: @omelhordesampa, gastronomia, lazer e cultura por menos de 30 reais. Ele também está no Facebook: Omelhordesampa.

Segundo Olavo, “a ideia do perfil é mostrar a visitantes e moradores tudo que existe de acessível em São Paulo, com o olhar de alguém que conheceu a cidade sem nenhum tipo de preconceito”.

Desde 2015, ele organiza free walking tours pela cidade de São Paulo: “Apesar de promover a visita a vários pontos históricos e turísticos, o objetivo nos passeios é trazer para a vida real as dicas que dou no Instagram e, de alguma forma, tentar democratizar gastronomia, lazer e cultura”, comenta Olavo.

A ideia de participar de um walking tour em São Paulo me pareceu maravilhosa: por que não ser turista em minha própria cidade? Me inscrevi no walking tour pelo centro da cidade organizado pelo @omelhordesampa e amei a experiência. Além de conhecer lugares dos quais eu nunca tinha ouvido falar, revi outros que já conhecia, mas aos quais não ia há muito tempo, e conheci gente nova. O interessante do walking tour é justamente isso: compartilhar da experiência de alguém que conhece a cidade e ampliar o repertório de amizades.

Mas um bom turista é um explorador por natureza e pode se aventurar sozinho e traçar o seu próprio roteiro, de acordo com seus interesses e preferências. Eu, particularmente, me apaixonei pelos semáforos temáticos para pedestres que existem no centro de São Paulo. Fiz uma pesquisa na internet e descobri que eles estão instalados próximos a diferentes pontos turísticos espalhados pela cidade e, agora, tenho visitado esses lugares e fotografado os semáforos.

Semáforo temático em frente ao Monumento às Bandeiras. Crédito da foto: Cláudia Carvalho Neves.

E você? Já parou para pensar em quantos lugares interessantes existem na cidade em que vive e que você não conhece ou não visita há tempos?

Pesquise se na sua cidade existem free walking tours e participe de um deles. Se não houver, que tal planejar um roteiro e convidar amigos para um tour pela cidade? Além da diversão proporcionada ao passear pela cidade, seja participando de um free walking tour, seja elaborando um roteiro próprio, esta também é uma maneira de se apropriar do espaço vivido, com o qual criamos uma relação afetiva e de identidade. Ao apropriar-se dos lugares e das paisagens da cidade, podemos contribuir com ações coletivas para torná-la um lugar melhor para viver e que ofereça mais qualidade de vida aos cidadãos.

Bom passeio e surpreenda-se com o que a cidade lhe oferece! São muitas as possibilidades de descobertas!

Em tempo: o Jardim Botânico de São Paulo é lindo!

FREE WALKING TOURS são passeios em grupo que existem em várias cidades do Brasil e do mundo e que oferecem aos participantes uma ideia das principais atrações a serem visitadas. Eles funcionam como uma “degustação” da cidade, para que você escolha os lugares que mais lhe chamaram a atenção e retorne depois para conhecê-los, no seu ritmo. No fim do passeio, você paga se quiser e quanto quiser.

PLANEJANDO O PRÓPRIO PASSEIO – As possibilidades de roteiros são inúmeras. Uma boa sugestão é pesquisar no site da prefeitura do município, que geralmente apresenta informações sobre história, cultura, lazer e turismo, e elaborar um roteiro de acordo com o que você quer conhecer.

PARA TIRAR BOAS FOTOS DOS PASSEIOS – Assista a este vídeo com dicas do fotógrafo Steve McCurry, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Kkd-rRIxvbM. Acesso em: 20 jan. 2016.

Foto de capa: Pátio do Colégio: marco da fundação da cidade de São Paulo. Crédito da foto: Cláudia Carvalho Neves.

 

 

Cláudia Carvalho Neves é editora de livros didáticos e mestra em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa da Universidade de São Paulo. [c.c.neves@uol.com.br].

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *